Uma Olimpíada como nenhuma outra

Relembre os principais acontecimentos dos Jogos Olímpicos de Londres

A terceira vez que Londres recebeu uma Olimpíada na Era Moderna - as outras duas vezes foram em 1908 e 1948 - entrou para a história. Foram 17 dias de competição. Mais de 10 mil atletas de 204 países brigaram pelas medalhas de ouro, prata e bronze. A cerimônia de abertura, dirigida pelo cineasta Danny Boyle, contou a história da Revolução Industrial, fez a rainha Elizabeth II saltar de pára-quedas com James Bond e retratou a diversidade da música britânica. A tocha foi acesa no Estádio Olímpico e a partir daquele momento, a capital do Reino Unido se tornou também a capital do esporte mundial.


LEIA TAMBÉM

Relembre: gênios do esporte que vieram ao Brasil em 2012!
'Papai Noel' vacila e bate com o rosto em tabela em exibição na NBA
Djokovic arrasa Ferrer e avança à final em Abu Dabi
Campinas tem cartilha rigorosa para voltar 'voando' em 2013

Os que foram ao parque aquático de Londres puderam assistir ao fenômeno Michael Phelps virar lenda ao se tornar o maior medalhista da história olímpica. Com as seis medalhas de Londres, ele acumula 22 no currículo. O nadador americano se aposentou logo depois da competição. Mas não foi só Phelps que brilhou. Uma jovem da Lituânia surpreendeu o mundo ao conquistar a medalha de ouro nos 100 metros peito. Ruta Meilutyte, de apenas 15 anos, se tornou uma das mais jovens campeãs olímpicas de todos os tempos.

Michael Phelps ganhou um troféu especial da Federação Internacional de Natação, pelas conquistas na carreira. (Foto: …


Foi nessa edição, também, que o jamaicano Usain Bolt sagrou-se definitivamente como o melhor corredor de todos os tempos. Ele deixou sua marca ao levar três medalhas de ouro e alcançou um feito nunca antes visto: venceu as provas de 100 e 200 metros rasos em dois Jogos Olímpicos seguidos. E no atletismo o que não faltou foi momento especial. O sul-africano Oscar Pistorius  foi o primeiro atleta paralímpico a competir com adversários sem deficiência; a britânica Jessica Ennis conquistou a medalha de ouro no heptatlo e virou heroína em sua cidade natal, Sheffield; o fundista Mo Farah fez a dobradinha ao conquistas o 5000 e os 10000 metros rasos. Já Yelena Isinbayeva, favorita na prova de salto com varas, ficou com o bronze.

O "Dream Team" americano do basquete confirmou seu favoritismo e derrotou a Espanha. A equipe feminina dos Estados Unidos também levou o ouro ao vencer a França. As francesas levaram sua primeira medalha no basquete na história. As americanas também se deram bem no futebol. Aliás, os Estados Unidos foram os maiores medalhistas do torneio com 104 medalhas no total e 46 de ouro. Em segundo, veio a China com 88 medalhas. A terceira colocação foi dos donos da casa, a Grã-Bretanha, com 65 medalhas no total.

Entre essas, está a do tenista Andy Murray. O então número 1 do mundo, Roger Federer não levou o ouro, perdendo a final para o britânico. A vitória dentro de Murraya dentro de casa foi um dos momentos mais emocionantes da competição. Já Serena Williams conquistou dois ouros: um no individual, ao derrotar Maria Sharapova e outro nas duplas, junto com a irmã Venus Williams.


O sueco Roger Federer cumprimenta Andy Murray após a vitória do britânico, em Londres. (Foto: Getty Images)


A vergonha da Olimpíada foi a "entregada de jogo" das seleções de badminton. Quatro duplas femininas, duas da Coreia do Sul, uma da China e outra da Indonésia foram desclassificadas depois de fazerem partidas sem nenhuma combatividade  para determinar o chaveamento do torneio a partir das quartas-de-final.

Já a decepção ficou por conta da seleção espanhola de futebol, que sequer passou da fase de grupos e não conseguiu nenhuma vitória em três jogos. Já a seleção brasileira fez melhor, foi até a final, mas acabou derrotada pela equipe do México por 2 a 1. A tão esperada medalha de ouro olímpica no futebol - que o Brasil ainda não possui - teve que ficar para 2016.

Falando em Brasil...

A participação brasileira nos Jogos da capital britânica foi cheia de surpresas. Algumas boas, outras nem tanto. O Brasil terminou na 22ª colocação no quadro de medalhas, com três de ouro, cinco de prata e nove de bronze. O judô foi a modalidade que mais rendeu pódio aos brasileiros e garantiu quatro medalhas. Sarah Menezes conquistou o ouro ao vencer a romena Alina Dumitru, campeã em Pequim-2008. Felipe Kitadai, Mayra Aguiar e Rafael "Baby" Silva levaram o bronze .

Os outros dois ouros brasileiros vieram com a seleção feminina de vôlei, que venceu as americanas, e com o ginasta Arthur Zanetti, na prova das argolas. Outros que conquistaram a prata foram o nadador Thiago Pereira - numa histórica final dos 400 metros medley em que ele superou Michael Phelps -, a dupla masculina de vôlei de praia Alison e Emanuel, e a seleção masculina de vôlei, que perdeu para a Rússia. No vôlei de praia feminino, Juliana e Larissa levaram o bronze. Destaque também para a dupla da vela Robert Sheidt e Bruno Prada, que ficaram na terceira colocação da classe Star. 


Zanetti conseguiu a marca histórica nas argolas com a pontuação de 15.900 e levou o ouro. (Foto: Getty Images)


O boxe foi a grande surpresa brasileira nesses Jogos Olímpicos, conquistando três medalhas. Adriana Araújo e Yamaguchi Falcão conquistaram o bronze, já Esquiva Falcão levou a prata. O boxe não trazia uma medalha há 44 anos. No último dia de competição, o Brasil teve mais uma boa novidade: Yane Marques foi bronze no pentatlo moderno.

A surpresa não tão boa foi de Cesar Cielo. Favorito na prova dos 50m livres, Cielo ficou atrás do francês Florent Manadou e do americano Cullen Jones e levou o bronze na natação. No futebol feminino, a equipe da estrela Marta caiu diante das japonesas, atuais campeãs mundiais, nas quartas-de-final.

Mesmo não ganhando medalha, vale destacar o basquete masculino, que fez boa campanha depois 16 anos sem disputar os Jogos Olímpicos. A seleção conseguiu um grande feito ainda na fase de grupos, vencendo a Espanha, segunda maior potência do basquete. Porém, caiu diante da Argentina na fase de mata-mata.

Próxima parada: Cidade Maravilhosa

Na cerimônia de encerramento, Londres se despediu da Olimpíada e o Rio de Janeiro foi apresentado como próxima sede. Em 2016, a capital do esporte é aqui.