TOP 10: As maiores viradas de 2012

Neste domingo, iniciamos uma série que vai relembrar as 10 viradas históricas que aconteceram neste ano

Como poderíamos definir aquele grito de gol que surge, quando o empate amargo, injusto e sofrido parecia certo, mas deixa de ser impossível. O estádio inteiro entra em êxtase. O gol da vitória será repercutido como uma batalha gloriosa durante o ano inteiro. Aquela bola que insistia em não entrar, de repente, encontra-se aninhada na rede do rival e, aquela agonia compartilhada no sofá de casa ou nas arquibancadas com a massa, é, instantaneamente, transformada em alegria. Esses são os momentos que representam as grandes viradas nos grandes palcos do futebol mundial.

Neste domingo, iniciamos uma série que vai relembrar as 10 viradas históricas que aconteceram em 2012. Confira!

10ª - Valencia 3x2 Athletic Bilbao - Alívio no Mestalla

No dia 20 de outubro, 35 mil adeptos lotaram o Estádio Mestalla esperando uma vitória do Valencia em cima do Athletic Bilbao, pela oitava rodada do Campeonato Espanhol. O clássico prometia ser disputado. Os dois clubes se encontravam na mesma posição na tabela e o visitante foi o último finalista da Copa do Rei e da Liga Europa.

Jogo iniciado e o placar foi aberto pelos intrusos de Bilbao, que pretendiam fazer do Mestalla o seu domínio. Aos 19 minutos, o atacante Aduriz, ex-Valencia, fez os torcedores dos Los Che sentirem saudades do seu futebol, com um belo chute da entrada da área, que encobriu Guaita e inaugurou o placar. Sete minutos depois, no entanto, o torcedor do Valencia pode respirar aliviado com o pênalti convertido pelo artilheiro Roberto Soldado, em uma penalidade polêmica assinalada pelo juiz Alberto Undiano. Não demorou muito e Aduriz recolocou os visitantes em vantagem no duelo com um gol de cabeça, aos 30 minutos.

VEJA TAMBÉM:

- Paços Ferreira lança campanha inusitada que promete um strip-tease de seus jogadores

- Revelação espanhola ganha o prêmio 'Golden Boy 2012'

- Agora é oficial: Huntelaar permanece no Schalke 04 até junho de 2015

Com o baque, o Valencia sofreu até o momento em que Ander Herrera foi expulso e o meia Muniain deixou o gramado do Mestalla contundido, já na etapa derradeira. Por causa dessa reviravolta, o técnico Mauricio Pellegrino não perdeu tempo e mandou sua equipe para frente. O Bilbao contia a pressão pelo goleiro Iraizoz, mas no fim a insistência deu resultado.

Faltando quatro minutos para o apito final, Haedo Valdez, que havia entrado no lugar de Jonas e prometia incendiar o duelo, arriscou um chute que foi cortado em cima da linha pelo zagueiro Amorebieta. Para sorte dos torcedores que estavam tristes com o desempenho dos Los Che, Tino Costa marcou no rebote e deixou tudo igual no placar. O alívio pelo empate conquistado se transformou em explosão de surpresa e alegria. No ataque seguinte, aos 43 minutos, o paraguaio Valdez conseguiu subir mais alto que a zaga do Bilbao e furou o bloqueio armado pelo técnico argentino Bielsa, com uma bela cabeçada no fim da partida. Apito final. O Valencia vence por 3 a 2 e acalma sua torcida, que poderia ter tido um enfarte neste dia.