Retrospectiva 2012: ano fraco para os brasileiros no automobilismo

Frustração e esperança por dias melhores definem o ano do Brasil

Final de ano é tempo de refletir sobre o ano que se passou e analisar o que deve ser mantido e o que pode ser mudado para o próximo. É baseado nisso que os pilotos brasileiros vão começar 2013, já que 2012 não foi um bom ano para a maioria deles, independentemente da categoria disputada.

Veja mais:
Uma nova esperança para Felipe Massa
Vettel eleito o esportista europeu do ano de 2012
Equipe Lotus aposta em bom desempenho no início de 2013

Na Fórmula 1, Felipe Massa deu a entender que o ano seria decepcionante já no início de temporada. A primeira metade do campeonato foi desastrosa para o brasileiro, que só pontuou em quatro corridas, enquanto seu companheiro de equipe, Fernando Alonso, brilhava nas primeiras posições.

Entretanto nas dez corridas finais do campeonato, Massa teve uma melhora de desempenho notável, pontuando em todas elas. Se não foi o suficiente para alcançar, pelo menos, a performance de Alonso, já é algo que dá ao brasileiro da Ferrari esperanças para o ano que vem.

Sentimento este que não se passou na cabeça de Bruno Senna. Com um desempenho apenas razoável, o piloto foi dispensado pela Williams ao final da temporada e está com o futuro indefinido para 2013.

Após também ser dispensado pela Williams ao fim da temporada 2011, Rubens Barrichelo deixou a Fórmula 1 após 19 anos e acertou sua ida para a Fórmula Indy, para correr ao lado do também brasileiro Tony Kanaan na KV Racing.

Logo na estreia, uma má corrida: Rubinho largou na 13ª posição no grid em São Petersburgo e terminou em 17º. Conquistando posições medianas ao longo de toda a temporada, o piloto teve seu auge ao conquistar a terceira colocação na oitava etapa do campeonato, no circuito oval de Milwaukee, onde apenas um piloto ia a pista por vez.

Com o fraco desempenho, Barrichelo terminou a temporada em 12º na classificação de pilotos. Os também brasileiros Bia Figueiredo e Tony Kanaan terminaram o ano na Indy na 29ª e 9ª posições, respectivamente, enquanto Bruno Junqueira foi o lanterna da classificação e Helio Castroneves obteve o melhor resultado, terminando em quarto.

Ao fim da temporada 2012 da Fórmula Indy, Rubinho ainda chegou a disputar as três etapas finais da Stock Car Brasil, onde vai correr em 2013. A competição sagrou Cacá Bueno como vencedor e premiou Thiago Camilo com um milhão de reais na famosa "Corrida do Milhão".

Com uma passagem decepcionante pela Fórmula 1, Nelsinho Piquet pareceu finalmente encontrar seu nicho na Nascar. Em seu segundo ano na associação, Nelsinho acumulou seis pódios e quatro vitórias em três categorias diferentes em 2012. Para 2013, o piloto pretende correr por volta de 36 corridas no ano e acredita em uma melhoria de desempenho.

E o grande destaque brasileiro no ano foi Luiz Razia, que conquistou o vice-campeonato da GP2, categoria criada em 2005 que costuma alçar os pilotos à Fórmula 1. Nomes como Nico Rosberg, Heikki Kovalainen e Lewis Hamilton ascenderam à principal categoria do automobilismo mundial a partir da GP2. Não à toa, o nome de Razia é especulado como um dos possíveis pilotos da Force India para 2013, já que a escuderia ainda está com suas duas vagas em aberto.