Presidente do Vitória, Alexi Portela fala sobre o trabalho do Leão nas divisões de base

Segundo mandatário, meta é formar o maior número possível de jogadores

Falar que um baiano tem fala mansa é quase um pleonasmo. Mas não tem jeito: Alexi Portela é um baiano de fala mansa. Responde a tudo que perguntam com uma calma incomum para quem preside o Vitória e a Liga dos Clubes do Nordeste. A janela de sua sala no Barradão tem vista para o campo das categorias de base, onde ele acredita estar um dos principais tesouros do clube: "Além de formar, a gente consegue aproveitar muito bem esses jogadores".

Veja também:

- Marcelo Martelotte faz balanço dos primeiros dias como treinador do Santa Cruz
- Os donos da festa: conheça o Campinense
- Vitória acerta com Lúcio Maranhão por empréstimo

Mesmo com um final de ano corrido por causa do acesso para a primeira divisão na última rodada do Brasileirão da Série B, ele arranjou um tempo para receber a equipe do Esporte Interativo no palco das maiores glórias do rubro-negro baiano:o gramado do Barradão. Depois da reconquista da vaga na elite do futebol nacional, Alexi e Vitória só miram na Copa do Nordeste.

Abaixo, os melhores momentos da entrevista com Alexi Portela:

Como é o trabalho nas divisões de base do Vitória?

Alexi Portela: Nós temos 120 garotos que moram aqui no clube, onde recebem as cinco refeições, toda a estrutura, apoio de projetos sociais, ajuda de psicólogos e acompanhamento escolar. Isso é importante porque a gente sabe que a maioria desses garotos não vão sair daqui sendo jogadores profissionais,então é fundamental para a formação de cidadãos.

Mas aqueles que se profissionalizam são muito bem aproveitados pelo Vitória. Hoje, no time, a gente pode ver o Willi, o Arthur Maia, entre tantos outros que o Vitória já formou.

AP: No nosso grupo que subiu para Série B, dos 30 jogadores que compunham o elenco, 12 nós formamos aqui. Então, além de formar, a gente consegue aproveitar muito bem esses jogadores. O Vitória não tem os mesmos recursos que os clubes do Sul e Sudeste têm para investir e contratar. A gente tem que ser um clube formador. Não temos condições de pagar 250 mil reais de salário para alguém. Temos que ser mais competentes na formação.

Manter a base do time atual vai ser a estratégia do Vitória para ter um time forte ano que vem?

AP:
Com certeza. A gente esperou esse final de ano para conversar com os clubes que nos emprestaram jogadores e, dependendo de como for a conversa, podemos até comprar alguns deles. Como falei anteriormente, nós temos 12 jogadores formados no Vitória no time de 2012, então é importante mantermos a base.

O que esperar do Vitória na Copa do Nordeste?

AP:
O Vitória é pentacampeão da Copa do Nordeste. Para gente, é uma competição extremamente importante, porque, além de rentável financeiramente para os clubes, ela serve como um bom parâmetro para montarmos um time forte no primeiro semestre. Assim podemos competir de igual para igual no segundo semestre com os grandes clubes do Sul e Sudeste. Para terminar, eu gostaria de parabenizar mais uma vez o Esporte Interativo por ter ajudado na volta da Copa do Nordeste. Sem dúvida nenhuma, essa competição vai ser um diferencial muito grande para o futebol do Nordeste como um todo.

Assista aqui a entrevista com o mandatário rubro-negro: