Presidente do Náutico responde rival: 'Não cabe mais esse tipo de pedido'

Dirigente do Sport pediu para Atlético-GO e Ponte Preta jogarem com seriedade

Na véspera do clássico que decidirá a permanência ou o rebaixamento do Sport no Campeonato Brasileiro, o presidente do Náutico, Paulo Wanderley, respondeu ao presidente do Leão, Gustavo Dubeux, e afirmou que não é necessário haver pedidos para os times jogarem com seriedade.

Em entrevista ao programa "Fim de Papo", da TV Esporte Interativo, o dirigente do Sport pediu para que Atlético-GO e Ponte Preta jogassem com dignidade diante de Bahia e Portuguesa porque as partidas podem influenciar na permanência do Leão na elite. Paulo Wanderley respondeu ao presidente:

"No Campeonato Brasileiro não cabe mais esse tipo de pedido, me desculpe o presidente Dubeux, tenho o maior respeito do mundo para ele, mas esses pedidos são coisas do passado e não precisam mais ser discutidos", disse em entrevista ao Yahoo! Esporte Interativo.

Outro ponto que o presidente do Alvirrubro não concordou com seu colega de profissão foi quanto ao local da partida. Dubeux havia pedido para o jogo ser transferido para o Arruda por questões de segurança e de capacidade.

"Eu discordo do presidente Dubeux, aceito a ponderação, mas discordo. O Náutico tem campo, que foi aprovado em todos os órgãos. É suficientemente bom para fazer um jogo desse porte. Tenho certeza que se ele estivesse na nossa posição não faria esse pedido, falar é muito fácil" disse o dirigente.

Sobre a possibilidade de rebaixar o rival na partida do final de semana, o presidente do Náutico voltou a amenizar.

"A rivalidade fica para os torcedores, os dirigente tem de ter responsabilidade e trabalhamos o ano todo para estarmos na Sul-Americana e levar o Náutico novamente para uma competição internacional. Vamos lutar o suficiente dentro de campo, sabemos que do outro lado tem uma grande equipe também, mas vamos focar na vaga da Sul-Americana", completou.