Lucas Prado avalia o ano e faz pedido para o Papai Noel

Velocista quer mais conquistas até a Olimpíada do Rio de Janeiro.

Lucas Prado não tinha as pistas de atletismo entre seus sonhos. Mas em 2003, um deslocamento de retina começou a transformar sua vida. Nesse ano, Lucas teve o primeiro diagnóstico médico de coriorretinite, uma inflamação no fundo do olho, que o cegaria anos depois. A partir daí, o atleta se aventurou no futebol de 5, goalball mas foi no atletismo que se firmou como grande atleta paralímpico do Brasil. Em Pequim, conquistou medalhas de ouro nos 100m, 200m e 400m T11 e recorde mundial nas duas primeiras. Na Olimpíada de Londres, conseguiu duas medalhas de prata.

"Esse ano, pra mim, não foi bom porque foi um ano de lesão. Tive em 2011 e agora esse ano, então estou preparando e tratando com um dos melhores fisioterapeutas do Brasil, o Filé. Estamos fazendo um balanceamento para voltar a correr ano que vem a partir de março", afirmou Lucas Prado em entrevista exclusiva ao Yahoo! Esporte Interativo.

LEIA TAMBÉM 

Wozniacki é acusada de racismo após imitar Serena Williams

Jogadora de vôlei de praia tem rosto desfigurado

Varejão volta a brilhar nos garrafões, mas Cavs não resistem aos Bucks

 

Sobre a Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro, Lucas contrariou a maioria das pessoas que falam sobre a dificuldade em lidar com a pressão jogando em casa, e afirmou que vai se sentir muito melhor no seu páis.

"Vai ser muito melhor aqui. Nós não vamos ter problema de comida, de fuso horario, a torcida vai ser nossa, os árbitros vão falar português. Em Londres, o estresse era tão grande que o árbitro falava em inglês, às vezes não tínhamos um coordenador do lado para traduzir e acabávamos sendo prejudicados. Então a festa vai ser nossa e vamos correr por um medalha", acredita Lucas.

Com 2012 acabando e as festas de fim de ano chegando, Lucas já sabe o que vai pedir para o Papai Noel.

"Meu pedido para o ano que vem é não ter lesão. E, se possível, durante os próximos quatro anos também", desejou Lucas.