COI: "Deixamos o Rio satisfeitos com o que vimos e ouvimos"

Presidente da Comissão de Coordenação do COI garante que a cidade não está atrasada mas liga o alerta para as acomodações

Após concluir a quarta visita ao Rio de Janeiro, a presidente da Comissão de Coordenação do Comitê Olímpico Internacional Nawal El Moutawakel se mostrou otimista com a forma como a cidade avançou nos preparativos para os Jogos de 2016, desde o fim do ano passado . Nesta quarta-feira, em coletiva de imprensa, membros do COI e do Comitê Rio-2016 fizeram uma balanço da visita. O questionamento principal foi em relação às acomodações.

"O ano que teremos pela frente será crítico, é preciso iniciar trabalhos em várias instalações para os eventos-teste, que são fundamentais para atletas e federações. O plano de acomodações também foi apresentado, a Comissão reconheceu que muito trabalho foi feito, mas precisa ser confirmado nos próximos meses. Ficamos felizes que o Rio aprendeu bem as lições de Londres. Gostaria de dizer que vamos deixar a cidade daqui a poucas horas muito satisfeitos com o que vimos e ouvimos. O tempo é fundamental, mas temos confiança de que o Rio vai entregar", afirmou Nawal.

Veja também:
- Modesto, Bruninho diz não saber se mereceu o título de melhor levantador do mundo em 2012
- Armstrong ignora prazo para cooperar com agência antidoping
- Campeão olímpico faz a jogada (nem tão) impossível

O diretor-executivo de Jogos Olímpicos Gilbert Felli se mostrou confiante com as soluções para os problemas de acomodação e afirmou que a situação ainda não é "para cartão amarelo".

"Em dezembro existiam questões específicas, como as acomodações, de lá pra cá conseguimos ter uma compreensão melhor do esforço feito pela cidade para atrair investidores para construir novos hotéis. Também temos outras alternativas. Hoje fecharam a lacuna no papel. Portanto é muito importante voltarmos em junho, quando o prazo estará se fechando", explicou Gilbert Felli.

Durante o encontro, a Comissão de Coordenação do COI também foi questionada sobre os problemas com o campo de golfe. Nawal recebeu uma notificação de um oficial de justiça, informando sobre a briga envolvendo o terreno onde deverá acontecer a construção do campo para a disputa da modalidade na Olimpíada.

"Recebi uma notificação aqui no hotel e fui incapaz de entender e ler porque estava em português. Passamos para nosos advogados em Lausanne, na Suiça, para tradução, é o máximo que posso dizer", contou a presidente da Comissão.

Definição das instalações esportivas

Sobrou para o Comitê Rio-2016 as questões envolvendo a demolição do Velódromo e do Estádio Célio de Barros, e a definição das instalações esportivas de algumas modalidades. O presidente Carlos Arthur Nuzman garantiu que os atletas não serão afetados.

"Já saiu um comunicado de que os atletas foram transferidos para o Engenhão e os de arremesso para o Cefan. Repito, todo o desenvolvimento que vai ter da saída de uma instalação para uma melhor acontece em qualquer edição dos Jogos Olímpicos", afirmou Nuzman.

Dentre todas as modalidades, o Rugby era uma das principais preocupações em relação às instalações. O presidente Carlos Arthur Nuzman revelou que a modalidade deverá contar com uma instalação temporária, no Complexo de Deodoro. Já para os Saltos Ornamentais a opção é o Forte de Copacabana, também com uma instalação temporária. Nos dois casos, é necessário a aprovação das Federações Internacionais.