Pistorius abala África do Sul com suposto assassinato de sua namorada

Marcel Gascón.

Johanesburgo, 14 fev (EFE).- O primeiro atleta com as duas pernas amputadas e substituídas por próteses a participar dos Jogos Olímpicos, Oscar Pistorius, comoveu a África do Sul nesta quinta-feira por sua suposta autoria do assassinato de sua namorada.

O corpo sem vida da modelo Reeva Steenkamp, de 29 anos, foi encontrado nesta manhã com quatro disparos de bala na casa do famoso esportista sul-africano em Pretória.

Segundo a polícia, a modelo, que apresentava ferimentos na parte superior do corpo e na cabeça, morreu na hora.

Pistorius, de 26 anos, foi detido em seu domicílio pela polícia, que lhe acusou formalmente de assassinato, e prestará depoimento amanhã perante o Tribunal de Magistratura de Pretória.

O depoimento de Pistorius estava previsto para hoje, mas o procurador pediu mais tempo para preparar o caso.

O advogado do corredor, Kenny Oldwage, explicou à imprensa que seu cliente pedirá a liberdade pagando uma fiança.

No entanto, a Procuradoria sul-africana anunciou que pedirá ao juiz que negue a liberdade sob fiança ao atleta, que fez história no ano passado ao participar com próteses de carbono nos Jogos Olímpicos de Londres.

A porta-voz policial Katlego Mogale confirmou aos jornalistas reunidos ao redor da casa de Pistorius a acusação de assassinato contra o atleta, em uma declaração recolhida pelo canal sul-africano "eNCA".

Mogale desmentiu também as primeiras informações da imprensa sul-africana, segundo as quais o esportista teria disparado contra Reeva após confundi-la com um ladrão.

Por sua parte, a funcionária policial Denise Beukes, citada pela agência de notícias sul-africana "SAPA", mencionou que há constância de "incidentes prévios" de violência doméstica na casa do corredor.

Segundo Denise, vários vizinhos afirmaram à polícia ter ouvido gritos e ruídos também na tarde antes do crime, e na madrugada em que aconteceu a tragédia. Os legistas das forças de segurança seguem buscando provas no local.

De nacionalidade sul-africana e nascida em Pretória, Reeva Steenkamp era modelo da revista masculina "FHM" e formada em Direito.

Reeva saía há menos de um ano com Pistorius, cuja vida sentimental foi qualificada de intensa e agitada pela imprensa local.

A modelo publicou horas antes do crime uma breve mensagem através do Twitter por ocasião do dia de São Valentim na qual perguntava: "O que você esconde na manga para sua amada amanhã?".

Após o fato, as empresas que patrocinavam Pistorius retiraram os cartazes com sua imagem das principais cidades sul-africanas. Por sua vez, a multinacional americana Nike retirou de seu site um anúncio com a efígie de Pistorius, informou a "SAPA".

Pistorius foi conduzido esta tarde à cela da delegacia de Boschkop, na cidade de Pretória, onde passará a noite, de acordo com a agência de notícias sul-africana.

O crime aconteceu por volta das 4h locais (0h de Brasília) e os primeiros veículos policiais chegaram ao domicílio do corredor uma hora mais tarde.

Pistorius estabeleceu um marco no último mês de julho em Londres, ao se transformar no primeiro atleta com as duas pernas amputadas a participar das Olimpíadas, classificando-se para as semifinais da prova de 400 metros rasos.

O esportista é também conhecido por seu apelido "Blade Runner", em referência ao título do célebre filme de Ridley Scott, porque é um corredor - "runner" - que usa próteses de carbono em forma de lâminas - "blade" - em ambas pernas. EFE