Martino pede demissão e Arce assume o Paraguai

Cinco dias depois de o Paraguai cair por 3 a 0 diante do Uruguai na final da Copa América, na Argentina, Gerardo Martino pediu demissão do cargo de técnico da seleção do país. E, de imediato, a Associação Paraguaia de Futebol anunciou Francisco Arce, ex-jogador de sucesso no Grêmio, no Palmeiras e na própria seleção, como substituto para a função.

Após a decisão da competição continental, no último domingo, Martino já havia dito que ainda não havia decidido se seguiria na seleção paraguaia. O argentino estava no comando há mais de quatro anos, tendo como principais feitos a passagem às quartas de final da última Copa do Mundo e a surpreendente classificação à decisão da última Copa América, mesmo sem o país ter conquistado uma única vitória em sua campanha.

"Deixo de ser treinador do Paraguai a partir desta data", confirmou Martino em entrevista coletiva nesta sexta, na qual ele alegou não ter ficado satisfeito com o desenvolvimento da seleção paraguaia após a disputa da Copa de 2010, fato que motivou sua demissão. "Depois do Mundial imaginávamos um cenário de maior crescimento", admitiu.

Martino ainda assumiu a culpa pelo desempenho ilusório do Paraguai na última Copa América, na qual o país só avançou à final após eliminar Brasil e Venezuela nas cobranças por pênaltis. "O rendimento do time foi bom, mas não como nós queríamos e isso é responsabilidade da comissão técnica", acrescentou, para depois enfatizar: "Tivemos bons resultados, mas o rendimento foi ruim nos últimos tempos. Não podemos ficar com os resultados (obtidos) porque isso seria um erro".

O treinador, porém, não deixou de elogiar seus ex-comandados e de ressaltar o peso que teve a sua passagem na seleção paraguaia. "o Paraguai tem um grupo de jogadores que sempre deram o seu melhor. Foram quatro anos e meio únicos e irrepetíveis. Desejo o melhor para o Paraguai e para os jogadores", finalizou Martino, que chegou a ser cotado para assumir a seleção argentina, mas o seu país optou pela contratação de Alejandro Sabella para o cargo.

Com pouca experiência como treinador, o ex-lateral-direito Arce vinha comandando o modesto time do Rubio Ñu, da primeira divisão Paraguai. A escolha pelo seu nome para o cargo pode ser considerada uma grande surpresa, mas ele assume o novo desafio com o status de quem defendeu o Paraguai como jogador em duas Copas do Mundo, em 1998 e 2002.

"Não tenho muito tempo a perder", disse Arce, que terá como primeiro grande desafio a disputa das Eliminatórias do Mundial de 2014. "Eu vou começar a olhar as imagens dos jogos locais e de algumas figuras novas que já estão na seleção para ir armando nosso programa (de preparação), pois em outubro começam as Eliminatórias", acrescentou.

Últimos vídeos

Carregando...