Flu pode aproveitar vontade de Carlos Eduardo para acertar com o jogador

Ex-Grêmio já confessou que gostaria de defender o Tricolor

O discurso do Fluminense é de ter reforços pontuais para posições carentes. Para o meio de campo, já com Deco, Thiago Neves e Wagner, o clube busca uma boa oportunidade. E ela parece estar surgindo. O meia-atacante Carlos Eduardo, ex-Grêmio e hoje no Rubin Kazan-RUS, está querendo uma chance no Tricolor.

Veja também:
- Jornal francês chama Lucas de Messias e o compara a Messi
- Juventus quer comprar Dória e emprestar ao Botafogo até junho
- Michel Alves e Thiaguinho chegam ao Vasco nesta sexta

Amigo do diretor executivo do clube, Rdrigo Caetano, o jogador já conversou em alguns momentos com o dirigente e explicou a situação dele na Rússia. Em diversas entrevistas, o meia-atacante garantiu o interesse do Fluminense em tê-lo no próximo ano. Já pelos lados das Laranjeiras, o discurso é de que não existe proposta pelo jogador.

"Converso quase todos os dias com o Abel e estamos esperando ele constatar a carência de um jogador para o meio. Isso deve ser mais para a frente. Se surgir uma grande oportunidade, não há porque não anteciparmos. Mas nossa prioridade no momento para a composição de elenco são outros setores ", explicou Caetano.

Após confessar que tem conversado com Carlos Eduardo (como bons amigos, salienta), Caetano ainda fez questão de elogiar a qualidade e o caráter do meia do Rubin Kazan. Já o próprio Carlos Eduardo classificou o Flu como clube ideal para jogar. Isto porque, revelado no Grêmio, ele tem uma proposta em mãos do arquirrival Internacional. Assim, o clube carioca seria uma boa saída para o sonhado retorno dele ao Brasil.

"Se o Fluminense mostrar mais interesse, seria a melhor equipe para jogar por causa da Libertadores ", garantiu o meia.

Sombra de Thiago Neves

Caso Carlos Eduardo acerte com o Fluminense para 2013, ele chegará para ser a sombra de Thiago Neves, atualmente dono da meia-esquerda do time. Nesta posição, Carlos Eduardo se destacou na campanha do Grêmio na Libertadores da América de 2007, quando os gaúchos terminaram com o vice-campeonato, após derrota para o Boca Juniors na final.

Em 2010, após boas atuações pelo Hoffenheim, da Alemanha, Carlos Eduardo foi para o Rubin Kazan por cerca de R$ 44 milhões. Porém, uma lesão grave no joelho direito o deixou fora de combate por cerca de um ano e oito meses.

Prós e contras

Indiscutivelmente, Carlos Eduardo possui muita técnica. Insinuante, não tem medo e vai para cima dos marcadores, sempre tentando o drible e, apesar de novo, tem Libertadores, Liga dos Campeões e Liga Europa no currículo.

Contudo, a lesão no joelho direito, deixou o meia longe dos gramados por muito tempo, tendo atuado apenas 13 vezes pelo clube russo desde que chegou, em 2010. Outro obstáculo para a contratação seria o alto salário do jogador, pedido que vai na direção contrária da atual política do Fluminense.