1. ABC
  2. América-RN
  3. Atlético-MG
  4. Atlético-PR
  5. Bahia
  6. Botafogo
  7. Ceará
  8. Corinthians
  9. Coritiba
  10. Criciúma
  11. Cruzeiro
  12. Flamengo
  13. Fluminense
  14. Fortaleza
  15. Goiás
  16. Grêmio
  17. Internacional
  18. Náutico
  19. Palmeiras
  20. Ponte Preta
  21. Portuguesa
  22. Santa Cruz
  23. Santos
  24. São Paulo
  25. Sport
  26. Vasco
  27. Vitória
  28. Arsenal
  29. Barcelona
  30. Bayern de Munique
  31. Borussia Dortmund
  32. Chelsea
  33. Inter de Milão
  34. Juventus
  35. Liverpool
  36. Manchester City
  37. Manchester United
  38. Milan
  39. PSG
  40. Real Madrid

Femen promete fazer barulho na Euro 2012

femenAtivistas do Femen em novo protesto contra a Euro

A Euro 2012 oficialmente nem começou, mas o grupo feminista de alcance global e origem ucraniana Femen já vem fazendo muito barulho com suas manifestações contra o torneio. No último mês, a organização encabeçou ao menos três protestos contra o evento. O coletivo feminista acredita que a competição irá aumentar ainda mais o turismo sexual no país.

Em entrevista ao Sportv, a ativista ucrâniana Sacha Shevchenko acusou o ex-atleta e atual presidente da Uefa, Michel Platini, de ser conivente com a indústria da prostituição na Ucrânia. “Isso não é festa de futebol, é uma festa de turismo sexual e prostituição. A infraestrutura da Ucrânia não está pronta, a sociedade ucraniana não está pronta para isso. O que está pronta é a indústria de prostituição”, disse.

O protesto recente do Femen que teve maior repercussão foi o que as ativistas se aproximaram do troféu da Euro como se fossem turistas tirando fotos e, de repente, arrancaram a roupa e agarraram o prêmio.
Normalmente, as integrantes do coletivo são presas e liberadas em seguida, já que no país mostrar os seios em local público não é considerado crime.

De organização local a grupo de ativismo de alcance mundial

O Femen foi fundado em 2008 pela ucrâniana Anna Hutsol. Em pouco tempo o coletivo ganhou notoriedade e hoje conta com quase 400 militantes pelo mundo.  Seus protestos foram batizados de ataques e são executados por ativistas com roupas curtas, topless e grinaldas de flores no cabelo.O coletivo já promoveu ataques na Itália, Suíça, Rússia, Turquia e Brasil.


Representante do Femen no Brasil vê semelhanças entre Brasil e Ucrânia

No Brasil, a porta-voz da entidade é a estudante de cinema Sara Winter. Uma das razões que a levaram a se engajar no movimento foram as semelhanças entre os problemas da Ucrânia e do Brasil. “Lá, como aqui, sofremos muito com o turismo sexual. Também é comum as mulheres ganharem menos que os homens nos mesmos cargos”, explica.

Segundo ela, os problemas são basicamente os mesmos, mas o grau de engajamento das pessoas é bem diferente. “Amo o povo brasileiro, mas estamos muito descrentes em relação aos problemas da sociedade. Parecemos conformados”, explica. Ela também deixa claro que o coletivo não julga prostitutas. “Nós queremos que mulheres não sejam levadas à prostituição e ajudar quem está nessa situação a sair dela”, comenta. Para ler a entrevista de Sara Winter completa no blog Futebol 5 Estrelas clique aqui.