Baiano, o 'Zico do Nordeste' que fez história no futebol pernambucano

Baiano viveu seu auge no Náutico

É possível dizer claramente: Baiano, que apesar de ter esse apelido nasceu no Espirito Santo, é um dos maiores jogadores da história do futebol pernambucano. Tudo isso com base em números. O meia-atacante que fez sucesso em Recife na década de 80 é, até hoje, o maior artilhero do Campeonato Pernambucano, com 206 gols. Baiano passou pelos três clubes da capital, mas o seu auge foi no clube em que é ídolo até hoje, o  Náutico.

Veja também:

- Conheça o Esporte Interativo Nordeste, o canal do torcedor nordestino
- Assista, ao vivo e online, a todos os jogos da Copa do Nordeste

Baiano era meia, mas gostava de jogar quase dentro da grande área adversária, praticamente como um atacante. Batia faltas como ninguém e seu drible curto fazia a bola parecer não sair de seus pés. Chegou a ser apontado como o "Zico do Nordeste".

O começo de sua carreira foi totalmente voltado para o futebol capixaba, se profissionalizou e jogou por oito anos no Rio Branco-ES, neste meio tempo havia sido emprestado para o Desportiva-ES por dois anos. Baiano marcou 53 gols durante os oito anos. Mas apenas em 1980 ele começava a despontar, o Santa Cruz, que havia perdido vários jogadores para o rival, Sport, estava reformulando o elenco e trouxe o meia para o time. No seu primeiro Campeonato Pernambucano ficou em terceiro na artilharia, com 15 gols, atrás do ilustre Dadá Maravilha, que era seu companheiro de Santa Cruz. No ano seguinte ele batia um recorde histórico, marcando 38 gols, virou o maior artilheiro de uma única edição do estadual. Na mesma temporada recebeu a Chuteira de Bronze como terceiro maior artilheiro do Brasil. Baiano marcou 62 gols pelo Santa Cruz.

Com o sucesso na equipe tricolor, Baiano chamou a atenção do Fluminense, que o contratou, mas o jogador não fez sucesso no Rio de Janeiro. Foi reserva na maior parte da temporada e jogou apenas 15 partidas nos cinco meses que permaneceu na equipe, marcando cinco gols. Ainda em 1982, Baiano fez mais uma mudança, desta vez, uma que faria o jogador se consagrar no futebol pernambucano, ele chegava ao Náutico.

Em seu primeiro Campeonato Pernambucano pelo Timbu, Baiano bateu seu próprio recorde, marcando 40 gols na competição e se tornando novamente artilheiro, ele ainda venceu a Chuteira de Ouro no final da temporada, ficando na frente de jogadores renomados como Zico e Casagrande. No ano seguinte, Baiano repetiu o feito e marcou 40 gols no estadual, mas como das outras três vezes, não conseguiu ser campeão. No final da temporada ele venceu mais uma chuteira de ouro, desta vez por ter marcado 52 gols na temporada. Curiosamente, Baiano só conquistou seu primeiro título em Pernambuco quando não conseguiu ser artilheiro. Em 1984 marcou apenas 23 gols, 17 a menos que o maior goleador do ano, mas foi campeão, realizando finalmente um desejo de longa data.

Nos anos seguintes o rendimento de Baiano caia cada vez mais, em 1985, ainda jogando pelo Timbu, marcou 22 gols em toda a temporada, apesar de ganhar o bi-campeonato estadual, o seu futebol já não era o mesmo. Em 1986 o número de gols caiu para 19 em todo o ano. Em 1987, a temporada de despedida de um dos maiores ídolos do Náutico, Baiano marcou apenas 15 gols, o último deles no dia 8 de julho, na vitória alvirrubra sobre o América por 8 a 0. Era o adeus do quarto maior artilheiro da história alvirrubra, com 184 gols entre 1982 e 1987.

Ainda em 1987, Baiano jogou pelo Rio Branco-ES, seu primeiro clube, no ano seguinte voltou para Pernambuco, foi jogar no Central de Caruaru, marcou 12 gols no campeonato estadual e chamou a atenção do Sport, para onde se transferiu no mesmo ano. No Sport, Baiano fez apenas um gol durante sua passagem, justamente contra o Santa Cruz, que trouxe o meia para Pernambuco. Assim terminou a carreira profissional do jogador.

Em 2007, Baiano recebeu uma homenagem da Federação Pernambucana de futebol. Foi dados eu nome ao prèmio para o jogador que marcasse o gol de número 25 mil do estadual. Torcedor do Náutico, Baiano esteve recentemente no clube para apoiar a candidatura do atual presidente, Gláuber Vasconcelos.

Baiano marcou um total de 318 gols na carreira, 206 só no Campeonato Pernambucano.