Entrando em Campo

Mantendo sua identidade, Timão ganha o mundo

O Corinthians ganhou o Mundial de Clubes jogando bola. Foi aplicado, eficiente e não fugiu de suas características. Taticamente, a atuação foi quase perfeita. O Timão manteve sua identidade e foi melhor em campo na soma dos noventa minutos.

Também vale registrar a "mãozinha" dada pelo adversário. Rafa Benítez fez uma aposta que não deu certo, ao colocar Moses como titular, que ficou preso pela direita e pouco contribuiu com as jogadas ofensivas da equipe inglesa. Além disso, perdeu poder de marcação com Ramires e Lampard. Oscar só entrou após o gol corintiano. Tarde demais.

Veja também:

- Corinthians é bicampeão mundial

- Corinthians faz Brasil disparar no ranking do Mundial de Clubes da FIFA

- Fanatismo corintiano choca japoneses em Yokohama

Guerrero foi o nome do título e do torneio. Cássio foi o nome do jogo. Defesas espetaculares no primeiro tempo e uma ainda mais espetacular no finalzinho, cara a cara com Fernando Torres.

Por fim, Tite merece os maiores elogios pela conquista. Treinador que evoluiu espantosamente e trouxe disciplina tática e organização ao futebol brasileiro. Hoje, está muito à frente dos demais que trabalham por aqui. É exceção no medíocre quadro atual de técnicos do país.