Casca Grossa

Shogun, Vera, Machida e Bader embolados por disputa de cinturão meio-pesado

Shogun: mais uma chance?

** Post atualizado

O presidente Dana White revelou segunda-feira (30) que o vencedor de Maurício Shogun x Brandon Vera, combate principal do UFC On Fox 4, se credenciará automaticamente para disputar o cinturão meio-pesado, em posse atual de Jon Jones (que encara Dan Henderson no UFC 151, dia 1º de setembro).

A atitude deu o que falar pelas redes sociais e sites especializados e gerou protestos dos fãs.  O chefão então mudou de ideia (mais uma vez), e disse que o vencedor de Lyoto Machida x Ryan Bader (outro desafio meio-pesado do card) também estará no páreo como desafiante. Tudo vai depender de quem tiver a melhor performance.

**Siga o Blog no Twitter:@cascagrossablog
***CURTA o Casca-Grossa no Facebook!

Muita gente tem criticado a opção pelo fato de ter outros contendores na fila que mereceriam a chance direta, caso do sueco Alexander Gustafsson. De qualquer forma, mais brasileiros podem entrar na mira do cinturão do Ultimate nos próximos meses. Confira abaixo um pequeno briefing dos dois combates que podem definir o futuro da categoria.

Shogun Rua x Brandon Vera

Situações
Shogun vem da 'derrota histórica' para Dan Henderson no UFC 139, no combate de cinco assaltos que foi considerado o melhor do ano passado. O brasileiro foi campeão da categoria em 2010 e perdeu o mérito justamente para Jon Jones, na edição 128.

Considerado grande 'azarão' da vez, Brandon Vera ainda caça regularidade no UFC. Após iniciar com boas vitórias entre os pesados, o norte-americano de origem filipina baixou de peso e foi cortado do UFC em 2011, após a derrota para Thiago Silva, mas foi readmitido após o brasileiro ser flagrado no antidoping e o resultado acabou anulado. A última apresentação foi em setembro, quando superou Eliot Marshall nos pontos.

Cartas na mesa
Muay thai é carro-chefe nos dois lados e o striking (luta em pé) será predominante. Ambos são golpeadores brutais e as disputas francas em fundamentos como chutes e joelhadas  inevitavelmente aparecerão. Mesmo subjetivo, o padrão de chão também pode surgir em algum momento oportuno, ou se algum dos atletas optar por (poucos prováveis) táticas neutralizantes.

O que esperar
Com tanto pedigree na luta em pé envolvido, o nocaute deve ser esperado em cada segundo. Para amenizar qualquer controvérsia pela situação geral descrita acima, o próximo desafiante do campeão terá de convencer além de vencer. Será?

Lyoto Machida x Ryan Bader

Situações
Machida (deteve o cinturão em 2009/2010) vem de derrota por finalização para Jon Jones, na disputa de cinturão do UFC 140, em dezembro de 2011. Bader vem de vitória sobre Rampage Jackson no UFC 144, em fevereiro deste ano.

Machida: no páreoCartas na mesa
Colisão de estilos direta e reta. O padrão cheio de esquivas, movimentação e paciência de Machida frente ao sólido agarra/derruba/golpeia de Bader. O brasileiro fez toda preparação para o combate nos Estados Unidos, e provavelmente caprichou em aprimorar a base de wrestling para não ser supreendido nas disputas de clinches e quedas.

O que esperar
Quem souber neutralizar com eficiência as características do adversário leva a melhor. Machida tem bom retrospecto contra wrestlers na carreira pelo UFC, tem grande poder de timing para fintar, esgrimar e acertar seus chutes e socos diretos em momentos oportunos. Bader é mais previsível, mas desconta com golpes de carga afiados e um dos físicos mais avantajados da faixa de peso.